Coronavírus é eliminado no sêmen?

Esta é ainda uma questão a ser respondida e que preocupa muitos cientistas e profissionais de saúde. No entanto, estudos iniciais demonstraram que aparentemente o coronavírus NÃO é eliminado no sêmen.

 

Já foi demonstrado que o coronavírus (SARS-CoV-2) tem uma afinidade por tecidos com expressão aumentada da enzima conversora de angiotensina II (ACE2)como nariz, coração, intestino delgado, intestino grosso, esôfago, testículo e rim. Com esse pressuposto, foi levantada a hipótese de que houvesse uma alta concentração viral no sêmen de homens infectados.

 

No entanto, um estudo chinês com 34 indivíduos com sintomas leves de COVID-19 não foi capaz de demonstrar a presença de vírus no sêmen de homens recuperados após cerca de 30 dias do início dos sintomas. Há ainda relatos que o coronavírus também não foi encontrado no testículo de pacientes que faleceram de COVID-19.

Apesar de isso ser uma boa notícia, ainda não houve uma avaliação da presença do vírus no sêmen na fase assintomática de transmissão respiratória ou nos primeiros dias de sintomas, bem como casos mais graves da doença não foram incluídos, o que necessita de uma investigação mais elaborada antes de se chegar a uma conclusão definitiva.

Se necessitar de uma avaliação on-line de Andrologia em tempos de pandemia, agende clicando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *