25 de julho de 2018

Varicocele

Varicocele é a dilatação anormal das veias que drenam o sangue do testículo no escroto. É uma condição frequente, encontrada em aproximadamente 15% da população geral e em 40-50% dos homens com infertilidade em busca de tratamento. Por questões anatômicas é bem mais comum no lado esquerdo. Essa dilatação machuca os testículos através de um acúmulo interno de sangue, o que altera a temperatura desses órgãos que repousam no escroto para ficarem cerca de 1-2°C abaixo da temperatura corporal. Com a varicocele há um aquecimento interno dos mesmos, além de haver acumulo de toxinas e radicais livres. Embora a maioria dos homens com varicocele sejam férteis, com o passar do tempo pode haver uma diminuição do volume testicular, perda de qualidade do sêmen e diminuição na produção de testosterona. Já foi demonstrado também que a varicocele causa danos testiculares progressivos ao longo do tempo e que a cirurgia não apenas impede o avanço mas também reverte parte do prejuízo causado.

A cirurgia de correção da varicocele está indicada quando há alterações significativas do espermograma, atrofia do testículo, dor característica ou ainda alterações nos exames hormonais. Quanto mais tempo os testículos ficarem expostos aos efeitos nocivos da varicocele mais se acumulam os danos ao sensível tecido testicular. Cerca de 70-80% dos pacientes apresentam melhora significativa nos parâmetros seminais (concentração, motilidade e morfologia), além de haver um nítido aumento de chance de gravidez espontânea e de sucesso em técnicas de reprodução assistida, como a fertilização in vitro (FIV).

Existem diferentes técnicas cirúrgicas para corrigir a varicocele. No entanto, o tratamento com melhores resultados e menos complicações é a cirurgia com o uso do microscópio cirúrgico, conhecida como varicocelectomia microcirúrgica. De forma geral, o cirurgião faz uma incisão de aproximadamente 2.5cm na virilha  e isola o cordão espermático, que é estrutura por onde passam como veias, artérias, nervos e vasos linfáticos do testículo. Através de uma magnificação com microscópio cirúrgico é possível realizar a identificação meticulosa das veias e garantir sua exclusão uma a uma do sistema de drenagem de sangue, ao mesmo tempo em que se preserva as artérias, nervos e vasos linfáticos.

Como lesões às artérias são as complicações mais temidas dessas cirurgia, cirurgiões especializados utilizam um sistema com sonda de Doppler microvascular para auxiliar na identificação das artérias, uma vez que o dano inadvertido a tais vasos podem prejudicar de forma irreversível o fluxo sanguíneo para o testículo. Para realizar uma varicocelectomia microcirúrgica sem complicações, falhas ou recidivas é necessário treinamento microcirúrgico extensivo e o uso de um microscópio operacional de alta qualidade.