Disfunção erétil e hipertensão

A hipertensão arterial é um problema comum que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Por ser um fator de risco cardiovascular, sabe-se que ela pode comprometer a saúde dos vasos sanguíneos e eventualmente prejudicar o fluxo de sangue para o pênis, aumentando as chances de disfunção erétil. Por outro lado, alguns medicamentos envolvidos no tratamento da hipertensão tem sido associados a efeitos colaterais na esfera sexual como a disfunção erétil. Desta forma, pacientes hipertensos devem receber um cuidado especial em relação a saúde sexual para prevenir o desenvolvimento de disfunção erétil, sobretudo em homens com queixas sexuais. Drogas como betabloqueadores de primeira geração como o propranolol, inibidores da aldosterona como a espironolactona e diuréticos tiazídicos como a hidroclorotiazida estão mais associados a tais efeitos adversos. No entanto, existem drogas com menor efeito sobre a função erétil que podem ser utilizadas. Além disso, medicamentos orais para ereção são seguros nessa população e ainda possuem um leve efeito de abaixar a pressão, o que pode ser benéfico. Tais questões devem sempre ser ponderada com os médicos, sejam cardiologistas ou andrologistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eduardo de Paula Miranda - Doctoralia.com.br