Azoospermia: Opções para o paciente

Didaticamente é interessante dividir os pacientes em 2 grandes grupos: azoospermia obstrutiva e não-obstrutiva. Essa diferenciação nem sempre é possível antes da cirurgia, mas tem uma grande importância pois os casos de obstrução são favoráveis, sendo possível obtenção de espermatozoides para tratamentos de reprodução assistida em virtualmente 100% do casos.  Em algumas situações ainda é possível uma cirurgia de reconstrução do trato genital masculino em que o paciente voltará a ejacular espermatozoides.

Nos casos de azoospermia não-obstrutiva há um problema grave na produção de gametas e muitas vezes há apenas focos isolados de espermatozoides no testículo. A extração de tecido testicular por microdissecção (microTESE) é a técnica de escolha, pois todo o conteúdo do testículo e exposto e a uma ampla procura pode ser realizada.  Para otimizar as chances de captar espermatozoides com esse procedimento é interessante avaliar a necessidade de um tratamento hormonal no pré-operatório, pois não é incomum haver desbalanços que podem comprometer o sucesso da microTESE.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eduardo de Paula Miranda - Doctoralia.com.br