Utilidade do Doppler Peniano para Doença de Peyronie

A doença de Peyronie é uma condição caracterizada por uma deposição de tecido cicatricial na túnica de revestimento interno do pênis, denominada placa. A presença de placas gera pontos com diminuição da elasticidade do pênis, causando as diferentes tipos de deformidades. Além disso, é frequente a associação de doença de Peyronie com disfunção erétil, o que pode agravar ainda mais as consequências negativas dessa doença.

Quando as deformidades são severas e dificultam ou impossibilitam a atividade sexual satisfatória, está indicado tratamento reconstrutivo para doença de Peyronie, cujo objetivo é melhorar a função do pênis e a autoestima do individuo acometido. O exame de Doppler peniano com ereção fármaco-induzida é uma avaliação básica que serve como ponto de partida para qualquer decisão de tratamento nesta doença. Através de uma injeção de medicamento indutor de ereção é possível avaliar a rigidez máxima e os parâmetros hemodinâmicos dos vasos sanguíneos do pênis. Essa avaliação é fundamental pois a capacidade de ter uma ereção rígida vai decidir quais opções de tratamento o paciente pode ser submetido. Em seguida é feita uma avaliação descritiva e pormenorizada do pênis. São feitas medidas de comprimento e calibre bem como determinação precisa das deformidades quanto a sua natureza (curvatura, torção, indentação, afilamento, etc.), magnitude e localização. Todas essas informações ajudam tanto médico quanto paciente a entenderem a real extensão da doença e são cruciais para se estabelecer um plano terapêutico, sobretudo quando o tratamento cirúrgico é indicado.

Infelizmente muitos profissionais ainda realizam a avaliação da doença de Peyronie com o uso de fotos em 2 dimensões. Essa avaliação tem sido cada vez mais estimulada na era dos smartphones com câmera integrada. No entanto esse método possui limitações conhecidas: através de fotos simples é impossível avaliar a dinâmica da ereção e rigidez máxima. Isto é um problemas pois sabe-se que quanto maior a rigidez mais acentuada a deformidade, de forma que na foto pode-se obter informações equivocadas da real magnitude do problema. Além disso, na doença de Peyronie com frequência se encontram deformidade geométricas complexas e em 3 dimensões. Assim fotos podem deixar passar despercebidos detalhes relevantes dessa condição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eduardo de Paula Miranda - Doctoralia.com.br